Menu de Baco – Costelinha de porco com quiabo

Como a semana está dedicada aos vinhos brasileiros aqui no blog, nada melhor que um Menu de Baco bem brasileiro também. Essa receita é daquelas de vó, sabe?

Algumas receitas me trazem as lembranças dos fins de semana na casa dos meus avós, correndo descalça pelo sítio, subindo na velha jabuticabeira e sentindo aquele cheirinho da comida cozinhando lentamente no fogão a lenha. Sim, eu tive a sorte de ter esse tipo de infância…

abr03-costelinha-quiabo

Costelinha de porco com quiabo
(4 pessoas)

– 1 Kg de costelinhas de porco
– 1/2 kg de quiabo (nós adoramos muito quiabo, mas se quiser colocar menos…)
– 4 dentes de alho amassados
– 1 cebola picada
– 1 pimenta dedo de moça picada
– 1 cálice de cachaça
– Sal e pimenta do reino a gosto
– Cheiro verde a gosto
– Ramos de tomilho e alecrim
– Azeite

Essa receita pode ser feita numa panela de ferro ou na panela de barro (aquelas usadas para fazer moqueca). Tempere as costelinhas com o alho amassado, sal, pimenta do reino, alecrim e tomilho. Deixe descansar na geladeira por uma hora (ou de um dia pro outro). Coloque um pouco de azeite na panela, doure as costelinhas.

Quando estiverem bem douradas, acrescente a cebola picada e a pimenta dedo de moça. Jogue a cachaça e flambe com cuidado. Coloque um pouco de água (ou caldo de carne) e tampe a panela. Deixe cozinhar por cerca de 1 hora e meia (sempre colocando a água ou o caldo aos poucos, para não grudar no fundo). Quando as costelinhas estiverem bem macias, coloque os quiabos. Tampe a panela e deixe cozinhar por mais uns 5 minutinhos, só para cozinhar os quiabos. Sirva com arroz branco e farofa.

Nós adoramos harmonizar pratos com carne de porco com espumante. Para esse prato, escolhemos um espumante rosé. Mas você pode servir acompanhado de um vinho branco ou um rosé. Faça sua combinação e me conte!

Abraços!

>> Veja aqui outros Menu de Baco

 

3 comentários sobre “Menu de Baco – Costelinha de porco com quiabo”

  1. Costelinha de porco é tudo de bom! Mas nos churrascos de domingo da mimha familia era sempre regado a cerveja e não a vinho! Comecei a levar alguns vinhos para minha familia para degustar nos encontros e agora sim estamos aprendendo a apreciar e harmonizar uma bebida e não só beber como era com a cerveja!

  2. Pingback: Espumante Casa Valduga Reserva Brut 25 | Diário de Baco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *