Menu de Baco Especial Paris – Magret de Canard

Ah, Paris… A cidade luz, o templo sagrado das artes, capital mundial da moda, da cultura, o paraíso da gastronomia… Minha cidade preferida neste mundo!

Se existe um lugar onde a gastronomia é tratada com todo o amor, esse lugar é a França. E não estou nem falando da alta gastronomia, já conhecida e famosa mundialmente, dos restaurantes estrelados, mas sim do cuidado com a comida do dia a dia, dos ingredientes, do ritual da baguete.

Acabamos de chegar de uma viagem de 10 dias pela cidade e, desta vez, pudemos ter uma pequena amostra do estilo de vida dos parisienses. Alugamos um apartamento na Bastille (há dois passos de um supermercado e de uma feira livre, um perigo!) e procuramos fazer os programas básicos do pessoal de lá.

Vou relatar algumas experiências incríveis que tivemos nessa viagem nos próximos Menus. E, pra começar, nada melhor que um dos ingredientes mais tradicionais da culinária francesa: o pato!

jul24-paris-magretpato

Receita de Magret de Canard com cogumelos
(2 pessoas)

– 1 peito de pato de cerca de 400g (magret)
– 300g de cogumelos Paris
– sal e pimenta do reino a gosto
– ramos de tomilho
– 1 colher de sopa de manteiga
– 1 taça de vinho tinto 

Aqueça bem uma frigideira grande e ligue o forno (temperatura média). Enquanto esquenta, faça alguns cortes na pele do peito de pato e tempere com sal, pimenta e um pouco de tomilho. Coloque o magret na frigideira, com a pele para baixo e deixe tostar bem. Vire e doure o outro lado. Retire o pato da frigideira, coloque em uma assadeira e leve ao forno, enquanto prepara os cogumelos.

Na mesma frigideira, com a gordura do pato (Eu sei, não é nada saudável! Mas você não vai comer isso sempre e o sabor vale a pena!), coloque os cogumelos Paris, cortados ao meio. Tempere com sal e pimenta e deixe dourar. Os cogumelos vão pegar todo o sabor da gordura do pato. Acrescente o vinho e deixe reduzir um pouco. Finalize com uma colher de manteiga e sirva com o magret fatiado.

Dica: Fique atento ao ponto do magret, ele não pode cozinhar demais. O ponto certo é bem rosado.

Essa receita foi o nosso jantar do feriado de 14 de julho, depois da fantástica queima de fogos na Tour Eiffel, e segue a regra do “menos é mais”: poucos ingredientes, que geram uma combinação incrível de sabores. Nós harmonizamos com um Pinot Noir da Borgonha, comprado de um pequeno produtor no Marché de la Bastille.

Beijos e até a semana que vem!

>> Veja aqui outros Menu de Baco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *