No último mês de Março, o tema da Confraria Brasileira de Enoblogs foi dado pelo amigo Luiz Cola, do blog Vinhos e mais Vinhos.  Ele, como um cara experiente, sempre bebendo vinhos espetaculares, sugeriu que nós bebêssemos um vinho de 10 anos de idade ou mais. Aqueles vinhos que muitas vezes guardamos para uma data especial. Deixamos lá o vinho envelhecendo, envelhecendo…e nada de abrir!

Foi ótimo porque o Luiz ajudou muita gente a desapegar nesta confraria! Para aproveitar a oportunidade, eu eu o meu amigo Daniel Perches, resolvemos abrir 3 vinhos incríveis em um almoço fenomenal. Dois italianos do ano 2000 e o terceiro, um porto de 1997.

O primeiro, que inclusive foi o próprio Daniel que me trouxe em uma de suas viagens, é o Badia a Passignano Chianti Classico DOCG Riserva 2000, produzido pela Vinícola Antinori, uma das mais aclamadas vinícolas da região da Toscana, na Italia. Esse vinho é feito 100% de uva sangiovese, que vem da melhor parcela dos vinhedos da região do Chianti, e onde, segundo a história, se produz vinhos há mais de 1.000 anos. Um vinho especial.

Deixamos decantando por mais de 1 hora e não decepcionou. Um típico chianti, com aqueles aromas que lembram frutas vermelhas frescas como morango, notas de couro e terra molhada. Na boca a força dos taninos ainda muito vivos e a acidez impressionante.

badia-passignano-2000

Depois partimos para o segundo vinho, o Sassoaloro 2000, produzido por outro gigante da Toscana, Biondi Santi. O Sassoaloro já tinha bebido outra vez, mais novo (veja aqui) e estava incrível. Esse, com 14 anos, já pareceu bem mais cansado. Os aromas lembravam frutas secas, balsâmico, tabaco e no paladar, o taninos bem finos e acidez moderada. A experiência foi ótima para termos a certeza que o prazer garantido, é beber um bom Sassoaloro jovem.

sassoaloro-2000

Para fechar o almoço espetacular, um Porto Dalva 1997. Um vinho do porto ainda em impressionante forma, com quase 20 anos. Taninos rústicos ainda, muito fruta negra, café, couro e acidez estupenda no paladar. Um verdadeiro “highlander”. Sinceramente não arrisco dizer quando tempo ainda um vinho desse pode durar.

porto-dalva-1997

Acho que se colocássemos uma garrafa dessas no helicóptero daquele menino David, do filme Inteligência Artificial, esse porto ainda estaria vivo 2000 anos depois! 😉

Brincadeiras à parte, foi um almoço muito especial e também didático, para entendermos melhor como os vinhos envelhecem.