Surazo Reserva 2003, um vinho de reflexão.

surazo-2003
Na mesma noite feliz em que estivemos na casa do amigo Emerson e experimentamos o Planeta Cerasuolo, após o jantar ficou aquele gostinho de quero mais. Noite animada, conversa fácil, daí o Emerson não resistiu e me apareceu com esse chileno safra 2003. Daí bateu aquele preconceito na hora…vinho chileno de 7 anos? será? Veja que bobagem…

Não aguentamos de curiosidade e abrimos a garrafa. Só pela rolha, deu pra perceber que a coisa era séria:  a parte que fica em contato com o vinho estava quase preta e o aroma era puro chocolate amargo, impressionante.

Na taça, um vinho de cor rubi escura ainda, mostrando ser muito jovem ainda. Aroma muito intenso chocolate amargo, pimenta, fruta negra madura e um leve mentolado. Na boca apresentou bom corpo, taninos ainda presentes, macio, muito equilibrado e nem notaos os 14% de alcool. Final muito longo e que deixa um sabor de café torrado.

Para complicar ainda mais, o Emerson ainda trouxe uma barra de chocolate amargo para experimentarmos junto com o vinho. O chocolate destacou aida mais a fruta e fechou com todo aquele sabor de chocolate do vinho. Sensacional.

Um vinho difícil de harmonizar com comida, mas ótimo para ser o último vinho da noite. O típico vinho de reflexão.

Na busca por mais informação, encontrei esse ótimo artigo do Beto Gerosa sobre o Surazo, falando um pouco sobre a Vinícola Santa Monica e Don Emilio Solminihac, o homem por trás desse curioso vinho.

6 comentários sobre “Surazo Reserva 2003, um vinho de reflexão.”

  1. Pingback: Tweets that mention Surazo Reserva 2003, um vinho de reflexão. | Diário de Baco -- Topsy.com

  2. Alexandre,

    tenho experimentado vários vinhos Surazo. Já comentei alguns no blog e parece que todos refletem a elegância do enólogo.
    Tenho em casa duas garrafas que estão me despertando grande curiosidade. Um chamado 5 Big Reds, corte de Syrah, CS, Merlot, Carmenère e Malbec (acho); o outro é o “vinho de linha” mais antigo do Chile, um Reserva Especial Cab. Sauvignon de 1995. Um amigo experimentou há pouco a safra 1993 e ficou encantado.

    Abraço!

  3. Pingback: Surazo Chardonnay 2008 | Diário de Baco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *