Na última semana estive novamente no Chile. Que saudade! Fazia tempo que não passava alguns dias em Santiago e quase me esqueci como é linda essa cidade. Entre um compromisso e outro, andei pela Providencia e vi parques e praças bem cuidados, com muita gente se divertindo ou só descansando à sombra das árvores. Alguns lendo, outros namorando. Gente fazendo piquenique ou só admirando o grande chafariz na Plaza A La Aviacion.

movi-praça

Conheci também alguns ótimos restaurantes, mas isso é história para outro post.

Desta vez fui ao Chile para a transmissão de mais um WINEBAR e tive o prazer de conhecer de perto o MOVI e as pessoas por trás desse grande projeto.

O que é MOVI?

Screen Shot 2014-11-30 at 10.37.36 PMSe você não conhece, o MOVI – Movimento dos Vinhateiros Independentes do Chile, é uma associação que reúne um grupo de 24 vinícolas chilenas com a missão defender o vinho chileno produzido em escala humana, com personalidade. Eles se esforçam em divulgar sua mensagem, e mostrar vinhos em que a digital do “dono” está em cada garrafa. São vinícolas de produção pequena, mas que fazem grandes vinhos.

No projeto WINEBAR, conversamos com dois representantes do MOVI, Angela Mochi (Attilio & Mochi) e Sven Bruchfeld (Polkura) numa conversa bem descontraída. Assista no video abaixo:

O MOVI foi fundado em 2009 e, segundo seus representantes, a iniciativa deu muito certo. Antes do MOVI, essas pequenas vinícolas tinha pouca ou quase nenhuma representatividade. Como produzem pouco e de forma artesanal, não dispõem de recursos para investimento em marketing. Já em grupo, juntaram as forças e conseguiram destaque internacional.

Quem participa do MOVI?

Atualmente participam do MOVI as vinícolas: Acróbata, Armidita, Attilio & Mochi, Catrala, Clos Andino, Corral Victoria, Erasmo, Flaherty, Garage, Garcia Schwaderer, Gillmore, Kingston, Lagar de Bezana, Laura Hartwig, Meli, Merino, Peumayen, Polkura, Rukumilla, Starry Night, Trabun, Villard e Von Siebenthal.

E os vinhos?

Durante esses dias em que participei de atividades no Chile com alguns integrantes do MOVI, provei muitos vinhos de todas as vinícolas participantes. Quando você prova, se percebe que o sucesso do MOVI não se deve só a atitude “rock and roll” do grupo, mas sim pela qualidade do vinho. Há cuidado, talento e consistência alí. São irreverentes sim, mas são competentes e se garantem na taça.

Todos os vinhos que provei são bons ou muito bons. Nos próximos posts falarei um pouco sobre cada um deles.

———————-

VEJA ABAIXO A SÉRIE ESPECIAL DE POSTS SOBRE O MOVI