As novidades dos vinhos da Zuccardi são sinais da mudança do estilo do vinho argentino

Confesso que sou um admirador do trabalho e da personalidade de José Alberto Zuccardi, o grande mestre da bodega argentina Zuccardi. Uma pessoa sempre gentil e amável com todos, sempre disponível a falar de suas criações como se fosse a primeira vez. Esse homem soube como ninguém explorar ao máximo o terroir argentino e lá produzir ótimos vinhos, em enormes quantidades – e isso para mim é um grande diferencial deles. Mesmo as linhas básicas, como o Santa Julia, entregam vinho bem feitos, equilibrados e baratos!

jose-alberto-zuccardi
Agora Sebástian Zuccardi, filho de José Alberto Zuccardi, está conduzindo um movimento muito importante dentro da história vinícola – a expressão do terroir através dos vinhos. A família tem buscado investir em novas áreas de plantio para diversificar seus vinhos. Além de Mendoza, onde são tradicionais e com uma enorme área plantada, estão investindo em regiões mais altas e frias como La Consulta. O objetivo é conseguir vinhos mais frescos elegantes e está dando resultado.

tito-zuccardi

Provei uma das novidades, o Tito Zuccardi, uma homenagem ao pai falecido de José Alberto e que vem de uvas cultivadas na região de La Consulta. Um corte de Malbec, Cabernet Sauvignon e um pouco de Caladoc, uma uva que vem do cruzamento genético de duas outras uvas – Grenache Noir e Malbec. Já provei um vinho feito só de Caladoc e é bem tânico. O resultado é um vinho com aromas bem frutados e toques florais e no paladar bem potente, acidez elevada e taninos bem firmes e presentes. Os quase 16% de álcool estão totalmente integrados e nem se percebe. Acho que esse o movimento de buscar vinhos mais frescos está dando ótimos resultados.

brazos-delos-andes

Outro ótimo vinho que provei foi o Brazos de los Andes. É também um corte de Malbec, Cabernet Sauvignon, Syrah e Bonarda também com aromas que lembram muita fruta negra, baunilha e chocolate e para o paladar é uma festa. Muito aveludado, levemente adocicado, fácil de beber e muito prazeroso.

Ainda na mesma degustação provamos o Emma, que é um ótimo vinho 100% de uva Bonarda, feito em homenagem à mãe de Zuccardi e também outros dois ainda não liberados ao mercado e com o estilo bem parecido com o Tito – elegância, frescor e taninos bem presentes. O que provei da Zuccardi, é um ótimo sinal de que a Argentina está mudando o estilo de seus vinhos. E para melhor.

Os vinhos da Zuccardi você encontra na Ravin.

2 comentários sobre “As novidades dos vinhos da Zuccardi são sinais da mudança do estilo do vinho argentino”

  1. Alexandre,

    Texto claro e convidativo aos vinhos, estou curioso em prová-los.

    Fora que a pessoa do Zuccardi, que não o conheço, mas que muitos falam já valeria o bate-papo, mas ele também é bom no que faz.

    Gente séria!

    Um abraço,

    Rodrigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *