Descobrindo o vinho brasileiro

Como já relatei por aqui e muitos puderam comprovar pessoalmente, semana passada foi uma verdadeira maratona. Centenas de vinhos para conhecer nas  feiras Encontro de Vinhos OFF e EXPOVINIS. Muitos produtores, ótimos vinhos (outros nem tanto), mas dessa vez, resolvi olhar com um pouco mais de atenção para os vinhos brasileiros e descobri muita coisa interessante.

Continuando essa viagem pelo vinho brasileiro, nesta semana estarei na Serra Gaúcha, realizando visitas técnicas pelo Projeto Imagem, a convite do IBRAVIN e na volta, conto esta experiência e os bons vinhos que descobri. Se quiser, você pode me acompanhar nessa viagem, através do meu twitter @diariodebaco.

Enquanto isso, gostaria de compartilhar com você, um vídeo com declarações de Oz Clarke sobre suas impressões do vinho brasileiro, em sua visita recente ao país, também pelo Projeto Imagem. Para quem não sabe, o britânico Oz Clarke é dos críticos de vinho mais respeitados da atualidade.

 

6 comentários em “Descobrindo o vinho brasileiro”

  1. Bem, você sabe que eu sou defensor dos nossos vinhos nas Cartas. Foi sendo fã, que me tornei representante da VF.
    Na ExpoVinis, conheci uma Vinícola da Campanha GAúcha chamada “Guatambu”; um CS e um Espumante Extra Brut muito gostosos.

  2. Simplesmente fantástico esse vídeo, o cara deu uma consultoria de graça para os brasileiros que fabricam vinhos.
    Isso serve para todos nós brasileiros, temos que parar de copiar, sejamos nós mesmos, o que tem de errado nisso?

  3. Espontâneo ou não, já que ele foi convidado pelo Projeto Imagem, o OZ Clark fez analogias fantásticas entre o mundo do vinho e a cultura brasileira. Os “brazucas” têm que quebrar paradigmas e criar uma “nova tradição” brasileira de fazer vinhos!
    Abcs,
    Valentim

  4. Caro Marcelo

    Na serra gaúcha, pelo Prjeto Imagem do Ibravin, vais se surpreender com algumas vinícolas que fazem um excelente Merlot, principalmente a vinícola Marco Luigi.
    Abraços
    Osmir

    1. Caro Osmir
      Eu conheço razoavelmente os vinhos do Sul, embora, a Marco Luigi só de nome.
      Acabei de incorporar a Pizzato no meu portfolio. Gostei muito dos merlots da Jane & Cia.
      Vou tentar encontrar o Marco Luigi para experimentar.

  5. Fantástico. Eu venho sentindo isso nos últimos anos, apesar do Brasil ter excelentes vinhos, parece que é sempre mais do mesmo com particularidades bem pequenas que não fogem muito do traçado padrão.

    Por isso, sempre que vou comprar vinho, cansado dos Chilenos/Argentinos/Brasileiros, procuro logo a uva mais exótico do páis mais remoto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *