Há 10 anos um homem, convencido de que seus vinhos produzidos no Chile estavam entre os melhores do mundo, resolveu colocá-los à prova numa degustação às cegas, na cidade de Berlim. Seus vinhos foram colocados lado a lado dos maiores ícones de todo mundo, para então surpreender os maiores críticos do mundo.

Este poderia até ser um roteiro de filme de ficção, mas é uma história real. O nome deste homem que ajudou a colocar os vinhos do Chile em evidência chama-se Eduardo Chadwick (Errázuriz e Seña) e o evento é a Cata de Berlim (www.theberlintasting.com), que neste ano completa 10 anos. O evento, repetido longo dos anos, certamente cumpriu seu objetivo e percorreu durante uma década mais de 15 países, conseguindo estabelecer o Chile dentro das principais denominações de vinhos do mundo. As provas foram realizadas nas principais capitais do mundo como São Paulo, Hong Kong, Dubai, Londres, Nova York e Pequim.

Veja abaixo, um pequeno documentário sobre o evento:

Para comemorar os 10 anos da Cata de Berlim, a importadora Expand promoveu um grande evento no Hotel Emiliano com a presença de Eduardo Chadwick. Ele contou um pouco de sua jornada e apresentou seus “filhos” com muito orgulho: Don Maximiano 1989 e 2010, Seña 2000 e 2012 e Viñedo Chadwick 2000.

Os que mais me chamaram a atenção foram Don Maximiano 1989Seña 2000 e Viñedo Chadwick 2000, que só confirmaram mais uma vez, a impressionante longevidade dos grandes vinhos chilenos.

Don Maximiano 1989

Don Maximiano 1989

cdberlim01

Don Maximiano 1989 e Don Maximiano 2000

O primeiro, no auge de seus 25 anos, apresentou uma incrível intensidade aromática, taninos finos mas em grande quantidade, sinalizando muitos anos de evolução pela frente. Os outros dois, mesmo com 14 anos, estão em plena evolução e sem o menor sinal de cansaço.

Seña 2000

Seña 2000

Seña 2000

Seña 2000

Viñedo Chadwick 2000

Viñedo Chadwick 2000

Ao final do evento, fomos presenteados com um livro de fotos editado especialmente para a comemoração dos 10 anos da Cata de Berlim e autografado pelo próprio Eduardo Chadwick.

cdberlim05