Toro Loco 2011. Um vinho que deu sorte?

Antes de mais nada, quero agradecer aos meus amigos Gil Mesquita pela gentileza de me ceder o vinho e ao Cristiano Orlandi por fazê-lo chegar às minhas mãos, mais de 500km depois e ainda na volta do feriado. É muito amor ao vinho e aos amigos.

Se você não sabe do que se trata esse tal de Toro Loco, vou colocá-lo por dentro. Tudo começou quando esse vinho, produzido pela Bodega Coviñas, foi premiado com medalha de prata pela International Wine & Spirits Competition em uma prova realizada às cegas, com vinho muito mais caros que ele. (Veja a premiação aqui)

Daí por diante a notícia correu o mundo rapidamente e mais uma vez voltou a velha discussão de que nem sempre o vinho mais caro é melhor e blá, blá, blá. Aproveitando o “buzz” que a notícia provocou, obviamente o mundo sedento pela novidade encomendou loucamente caixas e mais caixas do tal vinho e, logicamente, aqui na colônia não poderia se diferente – todo mundo louco para experimentar o vinho mais famoso do planeta.

Quem se encarregou de distribuir a novidade por aqui foi a Wine que de forma inteligente alardeou e botou ainda mais pilha na história toda abrindo uma “pré-reserva” e com isso, vendeu muito. Uma dessas vendas acabou aqui na minha taça através dos amigos que combinaram de fazer o #torolocoday, que é hoje.

E o vinho?

Enquanto escrevo este post, estou lentamente provando o vinho para entender o que o levou a tal julgamento e em que codições foi feito. Já participei de várias degustações às cegas e acho o método interessante, mas ainda sim com muitas falhas se não for bem conduzido. O que se pretende comparar? Tipo? Regiões? Uvas? País?

Independente de quem estava no páreo, achei o vinho razoável pelo que custa. Aromas discretos de fruta negra e um toque de couro. Na boca é magro, taninos finos e acidez baixa. Bebendo só o vinho ele é melhor, mas acompanhado de comida um pouco mais condimentada, ele some.

Resumo da ópera: um vinho como dezenas de outros na mesma faixa de preço em que entregam um vinho de qualidade razoável. O resto é marketing.

Matei a curiosidade, mas não compraria outra garrafa.

32 comentários sobre “Toro Loco 2011. Um vinho que deu sorte?”

  1. Caro Alexandre,

    Assino embaixo! Um vinho tão simples e básico, que chega a ser ridículo comparar com vinhos de qualidade pretensamente superior. O grande problema neste caso, foi sua rotulagem como “um dos melhores vinhos do mundo” (de custo x benefício, é lógico), o que causou um alvoroço e uma expectativa que não se confirmam na taça.

    Abs,
    Luiz Cola

  2. Pingback: A opinião do Blog Vivendo a Vida sobre o vinho TORO LOCO Tempranillo 2011 #torolocoday : Vivendo a Vida

  3. Desde o início achei que essa história toda era um grande engodo. Na verdade, creio que houve mesmo vacilo na degustação às cegas. Particularmente, tenho minhas dúvidas sobre concursos em geral e, nesse casom da qualidade dos avaliadores.
    Não me empolguei e comprar e, pelo visto, não é pra me arrepender.
    Quando me deparar com ele por acaso, faço a minha avaliação.
    Um abração, meu amigo.

  4. É sempre assim muito marketing e na hora do vinho se mostrar , decepciona.Prefiro o contrário.Depois de degustado por várias pessoas, a fama se faz..Ou não, mas, fica sempre a impressão verdadeira.
    um abraço!

  5. Essa mina de ouro bem que podia parar nas minhas mãos, hehehe. Imagina, os caras venderam 120 mil garrafas em 15 dias. Giro de 3 milhões nesse produtos, se os caras ganharam 10% de markup, já é uma beleza ein…

  6. Vamos lá. Experimentei o tal Toro Loco. Não é excepcional, mas vale, sim, as 25 pratas que paguei pela garrafa. A velha fórmula do custo-benefício aqui se encaixa.
    Concordo totalmente com a observação de ¨beber sozinho¨, sem comida. É vinhozinho pra abater com pãozinho, azeite, mussarela de búfula e salamaleques do gênero.
    Se não é a nova coca-cola gelada do deserto dos vinhos baratos, o Toro Loco não é igual ou pior que todos os outros de sua faixa de preço: é um pouco melhor.
    Enfim, o considero um vinho típico para o dia a dia despretensioso. Depois da primeira garrafa, comprei mais algumas.

    1. Concordo. O preço condiz com o que o vinho proporciona. Não é excelente, mas é honesto e agrada aqueles que não participam do “universo de Baco”. Por isso, acho o Toro Loco ideal para dividir com amigos em um bate-papo sem pretensão ou outros eventos do gênero.
      Até já comprei outras garrafas do lote da safra 2012, que já está disponível.

  7. Se me permitem comentário, aprecio vinho mas não sou um expert no assunto. Degustei dezenas de rótulos, alguns pontuados acima dos 90 pontos. Em minha humilde experiência, abaixo de R$ 80,00 não encontrei muitas opções melhores. Em uma noite com amigos degustamos o Toro Loco e o Catena Zapata Malbec e pela maioria o Toro se destacou!

  8. Sinceramente e com Humildade digo: Não sou um ‘conansieur’ costumo consumir na faixa de R$20 a R$100, e nesta faixa já experimentei muitos rótulos de mais de 90 pts, comprei duas garrafas do T.Loco, a Tempranillo não é minha uva predileta pois prefiro a C.Sauvignon e a Merlot. Chamei alguns amigos para experimentar e a primeira garrafa que abrimos estava na temperatura ambiente de uma tarde quente e realmente não desceu bem, mas a segunda ja na temperatura ideal de serviço, foi muito elogiada e realmente na faixa de preço acho que não da pra comprar muita coisa igual ou parecida….E a resposta final é sim o vinho vale o que custa, e na faixa até uns R$60 ele vai muito bem e vale a pena, comprei dez garrafas.
    Obs. Só no consumo dos curiosos a importadora já vendeu quase a produção toda.

  9. Alexandre , meu nobre, vc poderia nos dar dicar de onde comprar alguns vinhos bons….To querendo experimentar o testardi Syrah, mas não acho em lugar nenhum. Depois o pessoal reclama do consumo dos importados, é só um vinho nacional ser elogiado e pronto some das prateleiras(para inflacionar as vendas)….
    Grande Abraço…

  10. AInda bem que é barato, comprei pelo marketing e detestei antes de abrir a garrafa; só mesmo no teste cego. Como isso não tem no mínimo uma rolha??? Vinho com puro gosto de conservante.

  11. Que bom ler isso. Achei que eu tava maluca com tantos comentários falando tão bem.
    Achei bem meia boca. Comprei 4 garrafas na Wine e tá difícil consumir a última com prazer. Não compro mais.

  12. Pingback: Depois do Toro Loco Tempranillo, agora provei o Toro Loco Cava Brut | Diário de Baco

  13. Ao ler as opiniões acima,principalmente dos experts no assunto,vislumbro um preconceito pelo preço.Sugiro Toro Loco Crianza e Toro Loco Reserva.
    Talvez saboreiem os preços,ou melhor, o custo-beneficio.

  14. Já tomei os dois e gostei. Sei que não é excepcional mas para o dia a dia é bem indicado e vale o custo-benefício, pois paguei R$ 19,95. por esse valor, hoje, nem o Periquita, que seria da mesma linhagem!!! Para quem não é sommelier nem expertise e gosta de um vinho barabto e honesto, recomendo, sem medo!!!

  15. Vamos ver, Alexandre. Tu ta querendo dizer ou que Bodegas Coviñas comprou os juris Wine & Spirits para vender um vinho de 3 euros? É mais fácil reconhecer o que todo mundo sabe:

    1. Que os vinhos, até um certo ponto, dependem do gosto de cada um.
    2. Que é um mercado altamente especulativo.
    3. Que um vinho acima de 25 dólares nao se justifica.

    Seja mais humilde, e reconheça que voce nao entende de vinho nem longe daqueles que deram a medalha de prata para o Toro Loco 2011. Em Brasil a galera sabe de vinho o que na Suiça de pagode. Para lá eles crescem desenvolvendo o paladar, aqui a galera começa tomar vinho de velho, faz um curso em Bento outro en Mendoça e sai falando ex cathedra. Menos, menos…

    1. João,

      Concordo com tudo que você disse. Não entendo de vinho, e como milhões de brasileiros, estou aprendendo todo dia.
      O que relatei aqui é só o que me difere dos demais: o meu paladar.

      Um abs e obrigado pelo comentário!
      Alexandre

  16. Olá Alexandre. Provei o Toro Loco Brut para ver se comprava para o meu casamento que será em setembro e seu comentario me ajudou muito. Tomei ele sem acompanhamento e achei o saber agradavel e com baixa acidez. Mas como ele seria servido junto com o buffet acho que não vai ser satisfatorio já que o sabor some com comidas mais condimentadas. PS: fiquei impressionada com a sua educação e desenvoltura em responder até os comentários mais ríspidos. Bato palmas para você. Abç

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *